Primeiramente, você precisa saber que “tier” é uma palavra inglesa que significa camada ou nível. A Certificação TIER é realizada pelo Uptime Institute Professional Services, único fornecedor de consulta e certificações para o sistema de Classificação Tier para data centers, que foi adotada em meados da década de 90 e hoje é um padrão aceito em mais de 40 países.

Qual o objetivo da certificação TIER para data centers?

Para resumir: Classificar e mensurar o nível da infraestrutura de um centro de processamento de dados.

Um data center armazena a grande moeda do século: o dado. Por isso, segurança e disponibilidade são requisitos críticos para avaliar a qualidade de um DC. Afinal, ficar “fora do ar” não é uma opção para as empresas.

Então, a classificação TIER é o que estabelece os níveis de operação. Ou seja, aponta qual nível de preparo os data centers têm para evitar problemas de infraestrutura. Essas falhas podem comprometer a segurança das informações e a conectividade contínua aos dados.

Quer entender mais sobre o que é um data center? Confira o vídeo abaixo

Divisão do sistema de Tier de data centers

Sendo assim, o sistema Tier é classificado em quatro níveis (I,II,III,IV), e tem como função comparar a funcionalidade, capacidade e a disponibilidade de um Data Center. Logo, quanto maior o nível, maior a redundância da infraestrutura e menor a probabilidade de paradas em caso de crise.

E por falar em redundância, ela pode ser entendida como uma duplicidade de equipamentos e sistemas. Além disso, tem o objetivo de evitar o tempo de parada (downtime) por falhas e manutenção preventiva ou corretiva.

Você pode gostar de assistir: HostDime Labs com Infra Antenada: Infraestrutura elétrica do data center

Classificações Tier de data centers:

Tier I: Classificação básica

Este nível fornece condições básicas para atender os equipamentos de TI e não há obrigatoriedade de qualquer componente redundante da infraestrutura.

Simultaneamente, algumas das necessidades exigidas são no-breaks (UPS), sistemas de climatização completos, chamados de componentes de capacidade, geradores e seus tanques com bombas de combustível.

Esses elementos devem funcionar corretamente para toda área crítica de TI, pensada para o Data Center.

Apesar de todo esse aparato, durante manutenções corretivas ou preventivas, o serviço não é capaz de ser mantido de forma contínua. Dessa forma, é necessário suspender ou pausar seu funcionamento.

Por isso, esse nível é ideal para pequenos negócios, onde a Tecnologia da Informação esteja focada nos processos internos.

Então, o resumo dos requisitos para Tier I:

  • 99,671% de uptime (tempo de atividade);
  • Não há exigência de redundância;
  • Pode sofrer 1,2 falha de equipamentos ou infraestrutura de distribuição por ano.

Tier II: Data Center redundante

Este nível atende todos os requisitos da classificação anterior, e tem como diferencial uma infraestrutura parcialmente redundante.

Consequentemente, oferece um pouco mais de agilidade em serviços de manutenção, fazendo com que as paradas sejam apenas uma por ano e ajudando a reduzir os impactos dos equipamentos por conta de falhas na infraestrutura.

Portanto, o nível II é voltado para pequenas instalações, cuja a criticidade do negócio é maior, podendo não suportar indisponibilidades durante horário comercial.

Então, o resumo dos requisitos para Tier II:

  • 99,749% de uptime;
  • 22 horas de inatividade por ano;
  • Redundância parcial em energia / refrigeração.

Tier III: Sistema Auto Sustentado

O Data Center Tier III possui redundância para realizar qualquer manutenção preventiva que possa ser solicitada em toda a infraestrutura, sem que haja necessidade de suspender nenhum serviço crítico de TI.

Para que isso seja possível, todo equipamento de TI deve ser conectado a caminhos elétricos diversos através das suas fontes redundantes.

Sendo assim, esse nível é ideal para empresas que disponibilizam suporte 24h x 7 dias na semana. Ou seja, para organizações cujos recursos de Tecnologia da Informação suportam processos de negócios automatizados e empresas com vários turnos de horários com clientes e funcionários em diversas áreas regionais.

Então, o resumo dos requisitos para Tier III:

  • 99.982% de uptime;
  • 1.6 horas de inatividade por ano;
  • 72 horas de proteção contra interrupção de energia.

 

data center Tier III Tier IV

 

Tier IV: Alta Tolerância a Falhas

Por fim, esta última categoria é completamente redundante ao nível dos circuitos elétricos, de arrefecimento e de rede.

Isto é, esta arquitetura permite ultrapassar qualquer cenário de incidentes técnicos sem jamais interromper a disponibilidade dos servidores no local.

Então, o resumo dos requisitos para Tier IV:

  • 99,995% de uptime;
  • Redundância integral;
  • 96 horas de proteção em casos de queda de energia.

Diante de tudo o que foi apresentado, é importante destacar que cada empresa  possui necessidades diferentes. Então, ao escolher um Data Center, é necessário avaliar tais necessidades para que você faça a escolha correta.

E, claro, escolher um Data Center que possui todas as exigências que seu negócio precisa vai te garantir tranquilidade, disponibilidade, menor tempo de resposta e o principal: a segurança.  

Você também pode gostar de ouvir

Quer ver um data center Tier III, na prática? Basta conferir nosso tour virtual